top of page

OS EMPALAMENTOS DE VLAD, O EMPALADOR

Atualizado: 5 de dez. de 2023


Vlad Dracula III (ou Vlad Tepes) - Artista: Angus Mcbride
Vlad Dracula III (ou Vlad Tepes) - Artista: Angus Mcbride


Um dos personagens mais famosos da Idade Média foi Vlad III, o príncipe da Valáquia. Aqui está a história de como ele ganhou o apelido de "o Empalador".

The Histories, de Laonikos Chalkokondyles, traduzido recentemente por Anthony Kaldellis, descreve a queda do império bizantino e a ascensão dos otomanos. Escrito em algum momento entre 1464 e 1468, centra-se na captura de Constantinopla em 1453. No entanto, também abrange muitos eventos que estavam ocorrendo na Europa Oriental, onde os otomanos, húngaros e outros estados estavam disputando entre si.


O sultão otomano Maomé II havia apoiado Vlad II Drácula como príncipe da Valáquia. Em troca, Vlad II enviou dois de seus filhos mais novos, Vlad e Radu, para morar na corte do sultão. Em 1447, Vlad III e seu filho mais velho foram capturados e assassinados por seus próprios nobres. Não seria até 1456 antes que Vlad III Drácula pudesse retornar à Valáquia e, com o apoio do sultão, assumir o Principado.


O relato de Laonikos Chalkokondyles começa aqui, com Vlad impondo seu domínio sobre a Valáquia:


Quando ele assumiu, ele primeiro criou um corpo de guarda-costas para si, que morava com ele, e depois convocou separadamente cada um dos homens distintos do reino que, acreditava-se, havia cometido traição durante a transferência de poder para lá. Ele matou todos eles por empalamento, eles e seus filhos, esposas e servos, de modo que este homem causou mais assassinatos do que qualquer outro sobre quem pudemos aprender. Para solidificar seu poder, eles dizem que em pouco tempo ele matou vinte mil homens, mulheres e crianças. Ele estabeleceu bons soldados e guarda-costas para seu próprio uso, e concedeu-lhes o dinheiro, a propriedade e outros bens de suas vítimas, para que ele rapidamente fizesse uma grande mudança e revolucionasse completamente os assuntos da Valáquia. Ele também trabalhou em assassinatos generalizados entre os húngaros,

O sultão Maomé II esperava que, uma vez que Vlad governasse a Valáquia, não seria problema para o resto do Império Otomano. No entanto, em 1461, ele soube que Vlad estava planejando se rebelar e ordenou que dois de seus funcionários - Thomas Katabolinos, senhor de Porte, e Hamza Bey, governador de Nicópolis - capturassem dois Vlad. Os dois oficiais planejaram uma conspiração em que Thomas se encontraria com Vlad e o levaria a uma emboscada para Hamza. Como Chalkokondyles revela, seu plano não foi bem:


Mas Vlad e seus homens estavam armados e, quando ele se juntou à escolta do senhor do Porte daquela região e da secretária, caiu na emboscada. Assim que Vlad percebeu o que estava acontecendo, ele ordenou que seus homens os prendessem e a seus servos. E quando Hamza veio contra ele, Vlad lutou bravamente, derrotou e capturou-o, e matou alguns dos que fugiram. Depois de capturá-los, ele levou todos eles para serem empalados, mas primeiro ele cortou os membros dos homens. Hamza empalou em uma estaca mais alta e tratou seus companheiros da mesma maneira que seus próprios senhores. Imediatamente depois que ele preparou o maior exército possível e marchou diretamente para o Danúbio, atravessou as regiões do Danúbio e a terra que pertencia ao sultão, matando todos, inclusive mulheres e crianças. Ele queimou as casas, incendiando onde quer que se mudasse.

Sem surpresa, o sultão ficou furioso com as ações de Vlad, em particular por matar seus oficiais. De acordo com Chalkokondyles, Maomé II preparou um exército que era o segundo em tamanho ao que conquistou Constantinopla e atravessou o Danúbio para invadir a Valáquia.


Vlad respondeu coletando suas forças, mas sendo pequeno demais para entrar em batalha com o exército otomano (e também enfrentando o governante da Moldávia, que também havia invadido), ele foi para as florestas. Lá eles vigiavam os otomanos, capturando aqueles soldados que vagavam muito longe do exército principal. Chalkokondyles ainda acrescenta que ouviu relatos de que Vlad se disfarçou e foi para o campo otomano, mas acrescenta que “Não posso acreditar que Vlad se exporia voluntariamente a esse perigo, pois ele poderia usar muitos espiões, mas esse conto, acredito, foi inventado para dar uma sensação de sua ousadia. ”


Vlad aprendeu que as forças otomanas eram relaxadas em proteger seu acampamento, e uma noite ele lançou um ataque surpresa. No entanto, não conseguiu entrar em pânico entre as tropas otomanas e, apesar de várias horas de luta, os wallachianos tiveram que recuar pouco antes do amanhecer. Maomé II continuou seu avanço na Valáquia e a maioria das cidades foi destruída ou rendida sem luta, enquanto Vlad podia fazer pouco mais do que seguir e vigiar. Eventualmente, os otomanos chegaram ao lugar onde Vlad havia empalado seus inimigos. Chalkokondyles descreve a cena:


O exército do sultão entrou na área dos empalamentos, com dezessete estadas de comprimento e sete de largura. Havia grandes apostas em que, como se dizia, cerca de vinte mil homens, mulheres e crianças haviam sido divididos, uma visão bastante para os turcos e o próprio sultão. O sultão ficou surpreso e disse que não era possível privar de seu país um homem que havia feito grandes feitos, que tinha uma compreensão diabólica de como governar seu reino e seu povo. E ele disse que um homem que havia feito essas coisas valia muito. O resto dos turcos ficou pasmo ao ver a multidão de homens em jogo. Havia crianças muito afixadas às mães nas estacas, e os pássaros haviam feito seus ninhos nas entranhas.

Logo após o término de sua campanha, Maomé II voltou ao Danúbio. No entanto, ele deixou para trás o irmão mais novo de Vlad, Radu, para convencer os valáchios a desistir de sua resistência ao sultão. Radu lhes disse:


“Vocês sofreram todas essas coisas horríveis por conta do meu irmão e se agradam de um homem profano que causou tanto mal à Valáquia que nunca ouvimos falar foi visitado em qualquer outra parte da terra."

Os nobres e exército da Valáquia logo abandonaram Vlad, e Radu se tornou o novo governante da Valáquia. Enquanto isso, Vlad tinha ido à Hungria para encontrar apoio, mas foi preso e julgado pelo rei Matthias Corvinus por matar húngaros anos antes. Vlad permaneceria na prisão por cerca de oito anos. Não foi até 1476 que Vlad conseguiu reconquistar a Valáquia, mas esse reinado durou apenas dois meses antes de sua morte.


Vlad III Drácula e seu domínio brutal sobre a Valáquia se tornariam material de lendas e contos folclóricos, e em 1897 foi a inspiração para o romance Drácula, de Bram Stoker.

 

Fonte - The Histories, de Laonikos Chalkokondyles, é traduzido por Anthony Kaldellis e faz parte da Biblioteca Medieval de Dumbarton Oaks.


Clique aqui para aprender sobre este livro de dois volumes da Harvard University Press.

2.327 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Komentáře


bottom of page