top of page

ALFREDO, O GRANDE E A LENDA DOS BOLOS



“Se a história fosse ensinada na forma de histórias, nunca seria esquecida.” Rudyard Kipling.


Uma das histórias mais conhecidas da história inglesa é a de Rei Alfredo e os bolos. As crianças aprendem a história em que Alfredo está fugindo dos vikings, refugiando-se na casa de uma camponesa. Ela pede que ele observe seus bolos – ou pequenos pães – assando perto do fogo, mas distraído com seus problemas, ele deixa os bolos queimarem e é duramente repreendido pela mulher.


Quando e onde isso deveria ter acontecido?


Em 870, todos os reinos anglo-saxões independentes, exceto Wessex tinha sido invadido pelos vikings. Ânglia Oriental, Northumbria e Mércia todos haviam caído e agora os vikings estavam se preparando para atacar Wessex.


Alfredo e seu irmão, o rei Aethelred dos saxões ocidentais, encontraram o exército viking na batalha de Ashdown perto de Reading em 8 de janeiro de 871. Após uma luta feroz, os saxões ocidentais conseguiram expulsar os vikings de volta a Reading. No entanto, em abril, o rei Aethelred morreu com apenas 22 anos e Alfredo tornou-se rei.


Alfredo não estava bem de saúde (como já abordamos aqui em nossa página é possível que ele sofresse da doença de Crohn) e os anos de luta cobraram seu preço. Alfredo foi forçado a 'comprar' os vikings e fazer as pazes para impedi-los de assumir o controle de Wessex. Nos anos seguintes, uma paz incômoda existiu entre os dois lados.


Em 6 de janeiro de 878, os vikings sob o comando de seu rei Guthrum lançaram um ataque surpresa à base de Alfredo em Chippenham. Alfredo foi forçado a fugir com apenas uma pequena companhia de homens para o Somerset, uma área que ele conhecia bem desde a infância.


É aqui que a história dos bolos deve ter acontecido. Alfredo e seus homens estavam escondidos nos lodos e pântanos de Somerset, vivendo dia a dia, dependentes da população local para comida e abrigo enquanto lutavam em uma guerra de guerrilha com os vikings.


Alfredo decidiu se estabelecer em Athelney, uma pequena ilha nos pântanos conectada ao assentamento de West Lyng por uma ponte. Aqui, no início de 878, ele construiu uma fortaleza, reforçando as defesas existentes de um forte anterior da Idade do Ferro. Foi em Athelney que Alfredo planejou sua campanha contra os vikings. Escavações arqueológicas encontraram evidências de metal trabalhando no local, sugerindo que os homens de Alfredo forjaram armas em prontidão para a batalha. Reunindo um exército de cerca de 3.000 homens de Somerset, Wiltshiree West Hampshire, ele atacou Guthrum e o exército viking em Edington em maio de 878.


Esta foi uma batalha feroz sem pedir ou dar trégua. Alfredo destruiu o exército dinamarquês e perseguiu os sobreviventes enquanto fugiam para Chippenham, onde se renderam. Em 15 de junho, Guthrum e 30 de seus homens foram batizados em Aller, perto de Athelney. Na cerimônia, Alfred foi o padrinho de Guthrum. Depois, uma grande festa para comemorar foi realizada na propriedade saxã de Wedmore. A rendição de Guthrum e o subsequente batismo mais tarde ficaram conhecidos como a Paz de Wedmore.


Em 886, de acordo com a Crônica Anglo-Saxônica:


“todos os povos ingleses reconheceram Alfredo como seu rei, exceto aqueles que ainda estavam sob o domínio dos dinamarqueses no norte e no leste”.

Em ação de graças por sua vitória, em 888 Alfredo mandou construir um mosteiro na Ilha de Athelney. A localização do mosteiro, destruído durante a Dissolução dos Mosteiros em 1539, é marcado por um pequeno monumento erguido em 1801.

 

Fonte - Horspool, David (2006). Why Alfred Burned the Cakes.


Savage, Anne (1988). Anglo-Saxon Chronicles.

373 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page