top of page

HAROLDO BLUETOOTH: O VIKING QUE DEU NOME À TECNOLOGIA SEM FIO



Todos sabemos que o Bluetooth é uma tecnologia de comunicação sem fio, mas você sabia que um rei viking do século X inspirou seu nome e logotipo? Conhecido como Haroldo Blåtand Gormsen em dinamarquês ou Haroldo Bluetooth Gormsson em inglês, o rei Haroldo reinou sobre a Dinamarca entre cerca de 958 e cerca de 986.


Embora seu nome tenha sido dado à conhecida tecnologia, a história do primeiro rei cristão da Dinamarca permanece amplamente desconhecida para a maioria das pessoas. Haroldo Bluetooth deu à Dinamarca e à Escandinávia o impulso de se juntar à florescente Europa medieval durante seu reinado.


Quem foi Haroldo Bluetooth?


Nas sombras da história por séculos, Haroldo Bluetooth de repente se tornou famoso quando alguns homens desenterraram seu nome das profundezas da história Viking e o deram a uma nova tecnologia inovadora. O rei viking teve papel fundamental na unificação da Dinamarca com seus vizinhos (atualmente os países Noruega e Suécia) e ajudou a cristianizar a Escandinávia.


A escassa informação disponível sobre o primeiro rei cristão da Dinamarca vem de várias fontes escritas durante o reinado de Haroldo e por cronistas posteriores. Eles certamente não hesitaram em embelezar ou exagerar alguns de seus traços, às vezes dando descrições divergentes, mas contribuindo para a lenda do rei viking.


Haroldo foi descrito como “notável pela força de sua mente e fé”, mas também “privado de sabedoria” e “sem grande inteligência”. Vários cronistas elogiaram o grande guerreiro e rei e escreveram sobre a animosidade entre Haroldo e seu filho Sweyn Forkbeard.


Como seu nome de família Gormsson sugeriria, Haroldo era filho de Gorm, o Velho, rei da Dinamarca, e Thyra. Ele provavelmente nasceu por volta de 920. Em 958, Haroldo substituiu seu pai à frente de um vasto reino que abrange a atual Dinamarca, partes da Noruega e Suécia.


O Primeiro rei Cristão da Dinamarca


Haroldo nasceu pagão como seus predecessores, adorando os deuses do panteão nórdico. Por volta de 960, talvez em 963, Haroldo se converteu ao cristianismo, tornando-se o primeiro rei cristão da Dinamarca. Não era uma novidade, pois o cristianismo se espalhou progressivamente pela região desde o século IX. No entanto, a conversão do rei tornou a nova religião durável.


A conversão de Haroldo não foi apenas um ato de fé, mas também uma decisão política. Otto, o Grande, o rei franco oriental e imperador do Sacro Império Romano em meados do século X, ameaçou expandir seus territórios além das fronteiras dinamarquesas. Seu primeiro movimento foi a criação de bispados na Dinamarca e a conversão de Haroldo ajudou a Igreja dinamarquesa a manter sua independência. Haroldo desejava manter a confiança de seu povo e garantir uma transição suave do paganismo para o cristianismo, não os forçando a desistir de suas antigas crenças e tradições.


Por que o apelido Haroldo Bluetooth?


Então, por que o rei Haroldo era conhecido como “Bluetooth”? A origem desse apelido provavelmente não é tão charmosa. Haroldo supostamente tinha um dente podre, que parecia azul ou preto como seu nome dinamarquês sugere: Haroldo Blåtand Gormsen, blå significando dente e tand azul.


A primeira menção desse detalhe aparece no Chronicon Roskildense, uma crônica dinamarquesa do século XII escrita em latim que descreve eventos históricos dinamarqueses, incluindo a cristianização do reino. O autor usou a palavra latina Blatan para descrever Haroldo sem fornecer mais detalhes.


William de Æbelholt, um clérigo francês que se mudou para a Dinamarca para ajudar a restaurar a disciplina religiosa na diocese de Roskilde, foi o primeiro a explicar o dente azul do rei Haroldo. Em sua genealogia dos reis dinamarqueses, escrita durante a segunda metade do século XII, William descreveu o dente de Haroldo como azul escuro, quase preto.


No entanto, a origem da cor do dente permanece desconhecida. Haroldo pode ter tido um dente podre que era particularmente visível. A falta de saúde e atendimento odontológico na época significava que era comum ter dentes ruins, mesmo entre os membros da realeza.


Alguns dão uma explicação menos horrível para o apelido de Haroldo. Os escandinavos gostam muito de bagas, um tipo de fruta silvestre muito difundida nas terras do norte. Haroldo pode ter gostado particularmente de bagas de cor azul, e isso pode ter causado o escurecimento de seus dentes.


As menções ao dente azul só apareceram dois séculos após a morte de Haroldo. Durante seu reinado, o rei era sem dúvida conhecido como Haroldo Gormsson: o filho de Gorm. Na tradição escandinava, as pessoas eram conhecidas pelo primeiro nome. Eles também usaram um patronímico feito do nome do pai ou, menos frequentemente, do nome da mãe. O nome do pai ou da mãe era seguido do sufixo -(s)son/-sen ou -dóttir/-dotter. Eventualmente, tornou-se uma espécie de sobrenome, às vezes combinado com um nome de família herdado. A misteriosa origem do apelido de Haroldo permanece incerta. Por causa de sua singularidade, Haroldo e seu suposto dente azul resistiram ao teste do tempo e acabaram se tornando famosos.


Obter uma impressão clara da aparência geral de Haroldo também é um desafio. Uma das poucas representações dele, uma pintura em um dos pilares da catedral de Roskilde, mostra Haroldo vestido como um homem do século XVI com meias vermelhas, saia azul e armadura dourada. Coisas que ele não usaria em seu tempo.


As Pedras Gelatinosas


Apesar da escassez de fontes escritas sobre Haroldo Bluetooth, o rei dinamarquês deixou muitos vestígios arqueológicos de seu reinado. Entre seus marcos, Haroldo estabeleceu uma rede de fortalezas redondas na Dinamarca e no sul da Suécia. Ele também modernizou o Dannevirke, uma rede de fortificações em Schleswig-Holstein, no vizinho norte da Alemanha.


O complexo Jelling Stones é a fonte de informação mais significativa e preciosa sobre Haroldo Bluetooth. Os arqueólogos estudaram este vasto local de runas esculpidas no centro da Dinamarca desde 1704.


O pai de Haroldo, Gorm, o Velho, provavelmente ergueu a primeira pedra esculpida em memória de sua esposa, Thyra. Haroldo levantou a segunda pedra para homenagear seus pais e comemorar seu sucesso político. Com suas inscrições rúnicas, a pedra de Haroldo constitui uma preciosa fonte de informações sobre suas realizações: a anexação de territórios noruegueses e suecos e a cristianização do reino.


Como seu pai antes dele, Haroldo fazia parte da dinastia Jelling. A dinastia Jelling, também conhecida como Casa de Knýtlinga, começou com o lendário rei dinamarquês Harthacnut, pai de Gorm, o Velho, e contou com uma sucessão de vários reis até a morte de Harthacnut (também conhecido como Canuto III) em 1042.


Os sucessivos reis da dinastia Jelling moldaram o reino da Dinamarca, tornando-o um dos reinos mais poderosos do norte da Europa do século XI. No auge, seu território se estendia do norte da Noruega à Inglaterra.


Forçado ao Exílio por Seu Filho


Após muitos anos de sucesso político e o estabelecimento de um forte poder sobre vastos territórios unificados, o fim do reinado de Haroldo Bluetooth foi iniciado pela revolta de seu filho, Sweyn. Este último, juntamente com alguns aristocratas infelizes, forçou o rei ao exílio durante a década de 980. Ele se estabeleceu em algum lugar na parte sul dos estados bálticos.


Haroldo morreu pouco depois de ser exilado. Segundo fontes posteriores, um arqueiro matou o rei exilado enquanto este se aliviava; que final para o grande rei viking! Mesmo a localização de seu túmulo permanece no escuro. Sweyn certamente contribuiu para a perda de informações sobre a vida de seu pai. Foi apenas nos tempos modernos que Haroldo foi redescoberto. Primeiro pelos dinamarqueses, que viram nele uma figura chave na história nacional, depois por outros, graças a uma nova tecnologia revolucionária que leva seu nome.


Haroldo Bluetooth e o Nascimento da Tecnologia Bluetooth


Em 1997, várias grandes empresas de comunicação, como IBM, Intel, Ericsson, Nokia e Toshiba, desenvolveram uma nova tecnologia para conectar dispositivos. A Nokia e a Ericsson, duas empresas nórdicas, lideraram o projeto.


Em uma noite de muito vento, em um bar em Toronto, dois engenheiros da Intel e da Ericsson que trabalhavam no projeto tomavam um drink. Eles estavam procurando um bom nome para dar à sua nova tecnologia. Durante a conversa, eles falaram sobre seu amor compartilhado pela história. Um deles mencionou um livro que acabara de ler sobre os vikings, incluindo um peculiar rei viking: Haroldo Bluetooth.


Os engenheiros fizeram um paralelo entre Haroldo Bluetooth, um rei unificador, e a ferramenta que eles criaram para conectar vários dispositivos em uma única rede. Um deles, Jim Kardach, criou um PowerPoint para explicar a escolha do nome a seus superiores. Continha uma foto de um Haroldo estilizado em uma pedra, segurando um celular e um laptop.


Bluetooth tornou-se um codinome por vários meses, mas deveria ser substituído pelo nome “RadioWire” ou “PAN” (Personal Area Network). Mas a equipe de comunicação entendeu o poder do significado por trás de “Bluetooth” e o manteve como o nome oficial da tecnologia. O Bluetooth foi lançado oficialmente em 1998 e a Ericsson criou o primeiro telefone Bluetooth em 1999. A tecnologia ainda é amplamente utilizada hoje.


Curiosamente, o logotipo do Bluetooth também é inspirado no alfabeto rúnico, usado por alemães e escandinavos entre o fim da antiguidade e a Idade Média. Combinando as iniciais de Haroldo Blåtand, eles criaram o logotipo atual.


À medida que o público se interessava cada vez mais pelos vikings e sua história por meio de histórias em quadrinhos, livros e programas de TV, o enraizamento do nome do produto na cultura de seu local de origem parece ter oferecido à empresa uma vantagem competitiva.


Como o rei Haroldo que unificou reinos, a tecnologia Bluetooth conecta vários dispositivos. Também representa o esforço conjunto dos líderes de diferentes empreendimentos para possibilitar a comunicação entre seus produtos.

 

Fonte - Fortehad, Oram and Pedersen, Viking Empires


Skovgaard-Petersen, Inge (2003), Helle, Knut (ed.), "The making of the Danish kingdom


Anders Winroth, Viking Sources in Translation


347 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page