top of page

PÁSCOA NA IDADE MÉDIA

Atualizado: 1 de abr. de 2023



A Páscoa está cheia de tradições como ovos de chocolate, coelhos, cestas escondidas em jardins para serem achadas, antigos ritos de fertilidade pré-cristãos, enfim, existem uma infinidade de pontos relacionados sobre esse período, mas aqui vamos focar apenas na Idade Média.


Pois bem, os três dias antes da Páscoa - Quinta-feira Santa, Sexta-feira Santa e Sábado Santo eram chamados de Tríduo Pascal, e as pessoas medievais, sem surpresa, passavam muito desses dias na igreja. A Páscoa era, como agora, a festa mais importante do calendário cristão, e é provavelmente por isso que precisava de quarenta dias de jejum e preparação para se preparar (o que, por sua vez, é parte do motivo pelo qual as pessoas estavam tão animadas por ela).


A Liturgia


Ritos chamados Tenebrae (latim para "escuridão") foram realizadas a partir de Quarta-feira na Semana Santa. Quinta-feira Santa seria uma celebração tranquilo e solene, após o qual os altares eram despidos e cobertos de galhos e ramos para simbolizar o despojamento e flagelação de Jesus. A Sexta-feira Santa é um dia de luto e, em geral, um dia em que ninguém usaria ferramentas de ferro ou pregos. Muitos começariam "rastejando até a cruz": exatamente o que parece, aproximando-se da cruz descalços e de joelhos. Não havia Eucaristia na sexta-feira, a história da Paixão era lida no Evangelho de João, e o celebração foi realizada quase completamente na escuridão, com um castiçal, gradualmente apagado para mostrar que a escuridão estava caindo sobre o mundo - apenas a vela mais central permanece acesa, representando a luz de Cristo. Imagine por um momento as sombras que se estendem pela nave (Nave - Parte longitudinal de uma igreja, compreendida entre a fachada principal e a capela-mor) as pessoas ajoelhadas nas pedras enquanto uma a uma as luzes se apagam e a voz do padre rezando na escuridão:


Miserere mei Deus secundum misericordiam tuam iuxta multitudinem miserationum tuarum dele iniquitates meas multum lava me ab iniquitate mea et a peccato meo munda me ( Salmo 51:1-2 )

Tradução


Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua misericórdia, segundo a grandeza da tua compaixão, apaga muito as minhas iniquidades, lava-me da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado. ( Salmo 51:1-2 )

A maioria da congregação não sabia latim, mas todos estavam bastante familiarizados com as palavras, por ser o dia da igreja mais importante do ano e tudo mais. (Era possível acompanhar a passagem do Tríduo Pascal nas janelas das Igrejas)


Os cultos do domingo de Páscoa começariam ao amanhecer, com a congregação se reunindo do lado de fora da igreja para cantar hinos. Então o padre os levariam para a igreja, onde a celebração seria mais alegre, a Eucaristia retornaria e as pessoas seriam dispensadas em graça e perdão para irem desfrutar de um grande banquete festivo.


Celebrações da Páscoa


Depois de quarenta dias jejuando e comendo basicamente nada além de peixe, era hora de uma festa. Em alguns casos, o senhor da mansão dava um banquete para os servos - ouvindo Jesus lavando os pés de seus discípulos e servindo-os, não porque o maior dia de festa do ano é o melhor momento para dar toda a ajuda por dia fora. Festejar era um negócio sério na Idade Média, e nenhuma despesa era poupada em mostrar a todos um bom momento.


Era também um dia em que as pessoas usavam ou recebiam roupas novas. No País de Gales medieval, os termos de quem obteve o quê quando foram explicitamente estabelecidos no Cyfraith Hywel Dda. O rei e a rainha davam libré (um tipo de capa sem mangas) ou suas próprias roupas a certos oficiais da corte toda Páscoa, Natal e Pentecostes — os três maiores festivais do calendário cristão medieval — e esses oficiais, por sua vez, passavam as suas para o próximo na fila. O rei dava roupas ao chefe do bando de guerra, que daria um conjunto ao Valet (mordomo), e assim por diante. Esta é uma demonstração bastante normal de generosidade, é claro, mas também um ato político por si só, reforçando (ou, em alguns casos, esclarecendo problemas) os laços de lealdade entre senhor e vassalo.


E os ovos de páscoa? Essa tradição decorre dessa mistura de pragmatismo e capricho que define tantas práticas medievais. Os ovos eram um dos alimentos proibidos durante a Quaresma, de modo que os ovos que eram postos durante essa época eram cozidos para preservá-los. O motivo seria talvez porque as galinhas não põem ovos no inverno, então é improvável que houvesse uma grande quantidade de ovos para ferver.


Quando o domingo de Páscoa finalmente chegava, os ovos, como carne e algumas verduras, estavam de volta ao cardápio. A prática de pintá-los parece realmente antiga. A igreja ortodoxa costumava pintá-los de vermelho para simbolizar o sangue de Cristo, enquanto nas áreas germânicas eles eram pintados de verde, às vezes vazios e pendurados em árvores. Embora às vezes fossem apenas cozidos com cebolas para dar-lhes um brilho dourado, a nobreza claramente tinha aspirações mais grandiosas. Em 1276, Eleanor e Simão de Montfort compraram 3.700 ovos para a sua celebração, e em 1290 as contas de Eduardo I mostram que ele pagou para ter 450 ovos decorados com folha de ouro! Considerando o quanto os medievais gostavam de comida feita para se parecer com outras coisas, a paixão por decorar ovos pode não parecer especialmente surpreendente.


Outro fato curioso é que os adultos os escondiam para que as crianças os encontrassem, não apenas para mantê-los ocupados, mas para ensinar-lhes uma valiosa lição religiosa: era para representar os discípulos encontrando Cristo ressuscitado no túmulo na manhã de Páscoa.


Um feriado que levou quarenta dias para se preparar merecia mais do que um dia de celebração, então a segunda e a terça-feira seguintes também tiveram sua cota de festividades. 'Hock Monday' (termo antigo para denotar a segunda e a terça-feira na segunda semana após a Páscoa.) envolveu as jovens da aldeia capturando os rapazes, para serem libertados apenas mediante pagamento de resgate (uma doação à igreja), a que se seguiu a 'Hock Tuesday', em que os jovens fizeram o mesmo para as mulheres.

 




218 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page