top of page

ISTAMBUL JÁ FOI CONSTANTINOPLA: POR QUE MUDARAM?

Atualizado: 25 de mar. de 2023




Istambul é a maior cidade da Turquia e está entre as 15 maiores áreas urbanas do mundo. Está localizado no Estreito de Bósforo e cobre toda a área do Corno de Ouro, um porto natural. Devido ao seu tamanho, Istambul se estende tanto pela Europa quanto pela Ásia. A cidade é a única metrópole do mundo a estar em mais de um continente.


A cidade de Istambul é importante para a geografia porque tem uma longa história que abrange a ascensão e queda dos impérios mais famosos do mundo. Devido à sua participação nesses impérios, Istambul também passou por várias mudanças de nome.

Bizâncio


Embora Istambul possa ter sido habitada já em 3.000 a.C, não era uma cidade até que os colonos gregos chegaram à área no século VII a.C. Esses colonos foram liderados pelo rei Bizas e se estabeleceram lá por causa da localização estratégica ao longo do Estreito de Bósforo. O rei Bizas nomeou a cidade de Bizâncio em sua homenagem.



O Império Romano (330-395)


Bizâncio tornou-se parte do Império Romano nos anos 300. Durante este tempo, o imperador romano Constantino, o Grande, empreendeu a reconstrução de toda a cidade. Seu objetivo era destacá-lo e dar à cidade monumentos semelhantes aos encontrados em Roma. Em 330, Constantino declarou a cidade como a capital de todo o Império Romano e a rebatizou de Constantinopla. Cresceu e prosperou como resultado.


O Império Bizantino (Romano Oriental)

(395–1204 e 1261–1453)


Após a morte do imperador Teodósio I em 395, no entanto, uma enorme reviravolta ocorreu no império, pois seus filhos o dividiram permanentemente. Após a divisão, Constantinopla tornou-se a capital do Império Bizantino nos anos 400.


Como parte do Império Bizantino, a cidade tornou-se distintamente grega, em oposição à sua antiga identidade no Império Romano. Como Constantinopla estava no centro de dois continentes, tornou-se um centro de comércio, cultura e diplomacia e cresceu consideravelmente. Em 532, porém, a revolta antigovernamental de Nika eclodiu entre a população da cidade e a destruiu. Depois, muitos de seus monumentos mais notáveis, um dos quais foi a Hagia Sophia, foram construídos durante a reconstrução da cidade, e Constantinopla tornou-se o centro da Igreja Ortodoxa Grega.


O Império Latino (1204-1261)


Embora Constantinopla tenha prosperado significativamente durante décadas após se tornar parte do Império Bizantino, os fatores que levaram ao seu sucesso também a tornaram um alvo para conquista. Por centenas de anos, tropas de todo o Oriente Médio atacaram a cidade. Por um tempo, foi até mesmo controlada por membros da Quarta Cruzada depois que a cidade foi profanada em 1204. Posteriormente, Constantinopla tornou-se o centro do Império Latino Católico.


Como a competição persistiu entre o Império Católico Latino e o Império Bizantino Ortodoxo Grego, Constantinopla foi pega no meio e começou a decair significativamente. Ele faliu financeiramente, a população diminuiu e tornou-se vulnerável a novos ataques à medida que os postos de defesa ao redor da cidade desmoronavam. Em 1261, em meio a essa turbulência, o Império de Nicéia recapturou Constantinopla e foi devolvida ao Império Bizantino. Na mesma época, os turcos otomanos começaram a conquistar as cidades ao redor de Constantinopla, efetivamente cortando-a de muitas de suas cidades vizinhas.


O Império Otomano (1453-1922)


Depois de ser consideravelmente enfraquecida, Constantinopla foi oficialmente conquistada pelos otomanos, liderados pelo sultão Maomé II em 29 de maio de 1453, após um cerco de 53 dias. Durante o cerco, o último imperador bizantino, Constantino XI, morreu enquanto defendia sua cidade. Quase imediatamente, Constantinopla foi declarada a capital do Império Otomano e seu nome foi mudado para Istambul.


Ao assumir o controle da cidade, o sultão Maomé procurou rejuvenescer Istambul. Ele criou o Grande Bazar (um dos maiores mercados cobertos do mundo) e trouxe de volta residentes católicos e ortodoxos gregos em fuga. Além desses moradores, ele trouxe famílias muçulmanas, cristãs e judias para estabelecer uma população mista. O sultão Maomé também iniciou a construção de monumentos arquitetônicos, escolas, hospitais, banhos públicos e grandes mesquitas imperiais.


De 1520 a 1566, Solimão, o Magnífico, controlou o Império Otomano, e houve muitas realizações artísticas e arquitetônicas que tornaram a cidade um importante centro cultural, político e comercial. Em meados de 1500, sua população havia crescido para quase 1 milhão de habitantes. O Império Otomano governou Istambul até ser derrotada e ocupada pelos Aliados na Primeira Guerra Mundial.


A República da Turquia (1923 - Presente)


Após a Primeira Guerra Mundial, ocorreu a Guerra da Independência Turca, e Istambul tornou-se parte da República da Turquia em 1923. Istambul não era a capital da nova república e, durante os primeiros anos de sua formação, Istambul foi esquecida; o investimento foi para a nova capital, Ancara, centralmente localizada. Nas décadas de 1940 e 1950, porém, Istambul ressurgiu. Novas praças públicas, avenidas e avenidas foram construídas – e muitos dos edifícios históricos da cidade foram demolidos.


Na década de 1970, a população de Istambul aumentou rapidamente, fazendo com que a cidade se expandisse para as aldeias e florestas próximas, criando uma grande metrópole mundial.


Istambul Hoje


As muitas áreas históricas de Istambul foram adicionadas à lista do Patrimônio Mundial da UNESCO em 1985. Além disso, devido ao seu status de potência mundial em ascensão, sua história e sua importância para a cultura na Europa e no mundo, Istambul foi designada a Capital Europeia da Cultura para 2010 pela União Europeia.

 

Fonte - Necipoğlu, Gülru (2010). "From Byzantine Constantinople to Ottoman Kostantiniyye".


Gregory, Timothy E. (2010). A History of Byzantium

898 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page